#Infográfico O Marketing de Conteúdo para a sua marca

Padrão

futuro do marketing está exatamente nessa habilidade de fornecer informações úteis e relevantes a potenciais clientes, ou seja, o Marketing de Conteúdo.

Rádios, TVs, anúncios pagos e assim por diante. Modelos comuns de publicidade, pontos básicos de posicionamento que, aos poucos, estão se tornando questionáveis através da realidade atual. Interromper seu programa de rádio ou TV favorito para ouvir uma mensagem a respeito de um produto e/ou serviço e ainda assim, conseguir a atenção e interesse do consumidor. Uma tarefa cada vez mais difícil para profissionais da comunicação.

Como mero espectador de tudo isso, confesso que me encanto com comerciais de grandes marcas em intervalos de Super Bowl ou da novela das 21h, por exemplo. Grandes referenciais para alcance de uma grande audiência. Mas fora o encanto, será que isso realmente me faz consumir aquele produto ou serviço? Para ser sincero, difícil. Até porque, Super Bowl é uma vez por ano e eu detesto novelas. Portanto, o trabalho dos comunicadores deste país deverá ser um pouco mais puxado – e isso é o que está se percebendo, principalmente na internet.

Está cada vez mais claro que os principais canais utilizados hoje para disseminar esse conteúdo são redes sociais e blogs. Há estudos que apontam um comportamento de grande influência sobre os conteúdos disseminados em blogs, por exemplo. O que um blogueiro escreve a respeito de uma marca pode ter uma grande participação na decisão de compra do consumidor. Ou seja, construir uma boa base de influência através da rede de blogues pode te posicionar de uma forma positiva com o teu mercado de atuação – e público-alvo.  Isso tudo é visto diante de uma boa construção de marketing de conteúdo.

Na verdade, esse tipo de método estabelece um processo interativo que cria relações significativas e de alta qualidade com o público-alvo. Quando uma informação publicada ajuda realmente um cliente em potencial, estimula o pensamento, gera debate ou simplesmente diverte. Essa interação, cria um relacionamento com o cliente que acaba por viralizar a informação.

O Henrique Carvalho, do blog Viver de Blog, criou um infográfico fantásticosuper completo e didático, que explora números e traz muita informação sobre o Marketing de Conteúdo.

Confira o infográfico abaixo. Caso queira baixá-lo em alta qualidade, clique aqui.

Marketing de Conteúdo – a jogada de mestre

Fonte: PapoUni

Cuidado: empresas pornôs podem aparecer na Timeline do Facebook

Padrão

Entre as inúmeras novidades do Facebook, uma que ninguém sabia chocou a todos: sites de conteúdo adulto podem aparecer na Timeline das pessoas no Facebook. O blog Techwag alertou aos usuários do Facebook para se prepararem para futuros momentos embaraçosos na rede social, pois sites pornográficos podem aparecer em sua Timeline desde que o novo recurso apareceu.

O recurso da Timeline significa que você terá agora um registro contínuo e persistente de suas atividades no Facebook e que os outros poderão ver na sua página. O que isto significa é que, se um site pornô usar as opções de compartilhamento no Facebook, ele possibilita o acesso direto a seu conteúdo e, em seguida, a exibição desse acesso na sua página. Quer dizer, no final das contas somente os que optarem por acessar sites de pornografia terão esse problema, mas quem gostaria de ter sua privacidade ameaçada em uma situação como essa?

Rmorrill, do blog Techwag, disse que isso já está acontecendo: “imagine para minha surpresa ao ver alguns sites de pornografia esta manhã após usar o Facebook Connect, e sim, eles sabiam quem eu era. Foi embaraçaso, mas bem-humorado, porque isso realmente é como a indústria adulta vai entrar nas mídias sociais, pois os usuários raramente saem do Facebook e Facebook Connect está em toda parte”.

De acordo com Mashable.com, deixar aplicativos colocarem uma quantidade enorme de informações em sua Timeline com o clique de um botão, concessão que o acesso da app tem em seu feed e compartilhamento das suas atividades apresentam preocupações sérias em relação a privacidade.

“O que é a atividade, você pergunta? Poderia ser as notícias que você lê online, os vídeos que você assiste, as fotos que você vê, a música que você ouve, ou qualquer outra ação dentro do site ou aplicativo. Facebook chama isso de gestos compartilhados automaticamente”, escreveu Pete Cashmore no site Mashable.

Via news.com.au

Cuidado com falta de #netiqueta na rede. A #internet é um verdadeiro banco de dados.

Padrão

Pouca desenvoltura para se expressar ou opiniões vazias podem minar relações e reputações nos sites de relacionamento

 Algumas décadas atrás, em “tempos de chumbo”, conquistar um canal para se expressar, no ar ou no papel, era o sonho dourado de quem realmente tinha algo para dizer. Hoje, em tempos digitais, quando uma criança com menos de dez anos pode tranquilamente postar textos e imagens através um potente celular com acesso a mil e uma formas de conexão com o mundo digital, parecemos viver uma inversão de valores.

Quanto mais vias de comunicação temos, em alguns casos, parece que menos se diz. A facilidade para dizer, ou melhor, teclar, o que vem a mente na instantaneidade “da luz” propiciada pelo advento das mídias sociais na Internet, parece provocar efeito contrário, com muita gente falando mas pouco se dizendo.

E o que há de abobrinhas e tudo o que há de diminutivo, muitas vezes em proporção superlativa, que se possa imaginar não está escrito…ou melhor, está cravado na rede.

“O internauta tem uma vida social toda exposta. São segundos para digitar algo, mas é algo que se eterniza. Essa dicotomia da rede é algo que a diferencia da mídia clássica, onde há a figura do editor antes da veiculação”

Clica em mim

Outro fator que tem colaborado para o desequilíbrio da relação qualidade x quantidade nas mídias sociais é a necessidade sentida por alguns usuários em se tornarem “subcelebridades” virtuais. Em busca de “ibope” a qualquer custo, membros seja do serviço de microblog Twitter ou do Facebook, não pensam duas vezes antes de tascar o dedo no botão enter para postar caracteres e mais caracteres de puro vazio.

“Acordei de ressaca”, “esse hotel me deixou com taanto (sic) tédio”, ou outras pérolas do gênero, seja por quem, por impulso, resolveu publicar um levante virtual contra o chefe ou tomar coragem para protestar algo referente ao trabalho somente após se desligar do emprego completam a lista do conteúdo a ser deletado nas redes sociais.

Essa “fama” instantânea pode gerar até mesmo dependência. É o que indica um estudo divulgado recentemente pela universidade de Oxford, na Inglaterra. Conforme a pesquisa, mídias como Facebook ou Twitter ajudariam a desencadear uma geração de pessoas obcecadas por si mesmas, com um desejo quase que infantil por holofotes o tempo todo.

fonte: JCNET

Escrevendo para #mídiassociais, dicas para seu conteúdo

Padrão

Novos tempos trazem novas formas de se comunicar, hoje atrair a atenção de um público tornou-se mais complexo e competir com uma grande quantidade de conteúdo disponível está cada vez mais difícil, mas especialmente em mídias sociais.

Para chamar a atenção do público dentro do ambiente de mídia social, recomendo a leitura das dicas abaixo que certamente irá dar-lhe perspectiva, para gradualmente ganhar a confiança e despertar interesse dos seus leitores.

Dicas para escrever para as mídias sociais

Escreva para o seu público: Não escreva algo apenas porque você gosta ou acha interessante ou por que todo mundo está escrevendo, investigue e descubra o que as pessoas querem ler, que tópicos são úteis para o público.

Busque um titulo de impacto: Talvez o elemento mais importante para captar a atenção do seu público. Entre a multidão de conteúdo na rede, como você pode se destacar? Você tem apenas alguns segundos para atrair a atenção dos usuários, faça com que suas palavras sejam atraentes, o título é o fator principal do seu conteúdo, afinal é a primeira coisa que os usuários leem.

Seja breve: Algo muito importante a considerar na nova era da comunicação é que as pessoas não estão dispostas a ler um conteúdo que não lhe passe informações rápidas. Seja específico, mostre as ideais, elimine o que não passa valor em sua escrita.

Um pequeno exemplo para encurtar o texto e ser objetivo:

Vamos aplicar a regra a um artigo de jornal, selecionado ao acaso um texto do New York Times. No primeiro parágrafo da notícia principal lia-se:

“Washington, 6 de Janeiro – Uma coisa já é clara sobre a forma como o presidente eleito, George W. Bush pretende governar a nação: as autoridades locais e estaduais terão muito mais flexibilidade para definir e executar todos os programas estaduais sociais, regulamentares e de obras públicas.”

Aplicando a regra de Orwell obtemos:

“Washington, 6 de Janeiro – Uma coisa é clara sobre a forma como George W. Bush pretende governar: as autoridades locais e estaduais terão mais flexibilidade para definir e executar os programas estaduais sociais, regulamentares e de obras públicas.”

Esta operação de racionalização passou de 46 para 38 palavras – uma redução de cerca de 18% sem afetar o respectivo conteúdo.

Imagens e gráficos ajudam: Seu público vai agradecer muito se o conteúdo estiver acompanhado por imagens, vídeos ou até mesmo um gráfico que tem um impacto mais forte do que o próprio texto, na medida em que os gráficos poderiam ser o teor total uma publicação.

Escreva como se você estivesse falando: Algo que produz um grande impacto sobre o público, e que os leitores se sintam como se estivessem em uma conversa com o próprio autor. Torne o artigo mais social!

Use palavras-chave: Embora seja um tema mais avançado, conforme você vai andando no caminho da escrita para as mídias sociais, você deve identificar quais são as palavras-chave que as pessoas mais pesquisam e assim incluir estas palavras em seu post.

Revise seu artigo: Uma vez terminado o seu artigo, volte e veja o que você desenvolveu, isso faz sentido?, É um título atrativo?, Verifiquei a ortografia?, Os elementos gráficos estão em harmonia com o que está escrito? Se você tiver a oportunidade peça que outra pessoa revise.

Experimente e continue tentando. Todo o conteúdo terá o mesmo impacto, alguns vão gostar outros talvez não, mas não pare de escrever, você vai ver que aos poucos vai conquistar confiança do público.

Por: Bruno.

Fonte: Bruno de Souza