Você é um Business man ou Busyness man?

Padrão

Quantas vezes já passamos horas em frente ao computador, debruçados em planilhas e documentos, se desgastando durante horas e horas de uma única semana? Muita gente apontaria esse tipo de comportamento como um ser workaholic, termo cada vez mais comum hoje em dia. Quem costuma trabalhar por volta de 12 horas por dia, por exemplo, pode ter uma pré-disposição ao cansaço físico e mental maior que o restante daqueles que respeitam o horário normal de trabalho. Se isso é uma atividade prejudicial para o nosso corpo e mente, todo mundo sabe. O que muitos não devem saber é que 12 horas de trabalho não significam 12 horas de produtividade. E aí é que mora a confusão de muitos profissionais da meia noite.

É aquela coisa: alcançar número de horas trabalhadas não deveria ser a meta do seu time mas sim a produtividade que você gera dentro deste período. Ou seja, enquanto você trabalha, você está sendo produtivo ou apenas está se ocupando para a sua empresa/organização?

Não seja um “Busyness”

Um dos fatores mais importante quanto a equação produtividade x qualidade é o nosso amigo tempo. O senhor do tempo costuma nos exigir demais e a única contra-partida deste elemento é a simples organização de nós mesmos para otimizá-lo enquanto trabalhamos. Afinal de contas, muitas das pessoas costuma gerar 80% de produtividade diante de 20% do seu tempo. É a tal da lei 80-20 que você pode entender mais lendo este artigo.

Se você analisar corretamente esses 20% e documentar cada movimento do seu plano de trabalho, você identificará o que faz você produzir, de fato, dentro destes 20% e eliminar, de forma sistêmica, o restante do tempo consumido. A partir do momento que você aplica o conceito 80-20, você pode dobrar ou até triplicar o seu rendimento em 40 horas comparado a 60 horas até então realizadas.

Eliminar o seu tempo improdutivo não é fácil. Hoje temos várias atividades paralelas, muitas vezes interlaçadas por interesses em comum que nos impedem de gerar alguns sacrifícios. Mesmo assim, nos exigem diariamente. Eu, por exemplo, trabalho 8h por dia, faço Universidade durante a noite, sou presidente de uma ONG em Blumenau e não descarto uma boa viagem/passeio.  Além da namorada, social com amigos e claro, uma partida de PES 2014. O fato é que, sendo empreendedor da minha própria vida e com uma agenda limitada, todo o tempo otimizado se torna valiosíssimo para mim e tenho certeza que poderia ser valioso para você também.

Mas como eu disse, não é fácil eliminar esse carrapato do seu corpo enquanto você trabalha. A improdutividade, me arrisco em dizer, é cultural e sempre estará nos nossos escritórios da vida – principalmente no Brasil. Mas ainda assim temos que evitar. Vou tentar explicar alguns obstáculos a respeito de agir e pensar estrategicamente para uma boa otimização do trabalho – ou até na sua própria vida.

Obstáculos para pensar estrategicamente

Enquanto ser mais produtivo pareça ser um comportamento exigido, como empreendedores, sempre haverá alguns problemas e oportunidades dentro destes 80% capaz de comprometer a produtividade. Veja abaixo:

Muitas oportunidades – ter muitas oportunidades parece ser algo muito positivo, mas ainda assim pode se tornar um problema para empreendedores. Quando o sucesso nos traz muitas oportunidades e você se sente cercado para aproveitar cada uma delas, você tende a espalhar seus esforços de forma muito genérica ao invés de agir com foco estratégico. Ou seja, muitas atividades paralelamente sendo executadas, você sempre fará de forma ‘meio bosta’.

Muitos recursos – as pessoas sempre reclamam pelo falta de recursos. Mão de obra, capital intelectual, fornecedores, tecnologia e assim por diante. Mas as vezes é melhor ter uma certa escassez do que uma vasta variedade disponível. Quando os recursos são abundantes, as pessoas tendem a resolver seus problemas injetando mais dinheiro. Se houver uma limitação nos recursos, ou seja, a restrição propriamente dita, haveria mais criatividade, pensamento estratégico e inovação.

Rebanho mental – mentalidade de rebanho. Aonde a vaca vai, o boi vai atrás, já dizia o poeta Tiririca.  Ou seja, se todo mundo faz algo através do mesmo caminho, geralmente há uma única estratégia para fazer ao contrário. É verdade, não é confortável e é até fora do normal para algumas pessoas, mas dificilmente você terá algum tipo de sucesso se ficar na sua zona de conforto e somente seguindo o que os outros fazem.

Tá, mas e aí? Seja mais específico e não me faça perder meu tempo hehe

Como trabalhar de forma mais estratégica e eficiente

O comportamento empreendedor permite assumir e aproveitar as oportunidades sempre que elas apareçam. A consequência é um dos pontos que escrevi acima que acabam impedindo o pensamento estratégico. Para evitar esses pontos nas suas rotinas “business”, você precisa entender que ações estratégicas são formadas através de dois simples processos: reflexão e ação. Fazer um balanço dos recursos disponíveis que você têm e utilizar deste cenário uma vantagem competitiva. Ou seja, otimize o que você tem e tire vantagem.

Vamos pontuar como colocar esses processos em ação:

Não deixe as tarefas moldarem sua rotina – se você está deixando algumas tarefas, como responder e-mails, direcionar a sua rotina diária, você está deixando outra pessoa priorizar para você.  Ao invés disso, defina você mesmo quando e como responder essas tarefas no seu dia-a-dia.

Realize decisões de forma consciente – tenha uma visão integral e holística sobre a realidade de uma oportunidade  a sua frente antes de se jogar de cabeça.  Faça uma possível avaliação de cada ponto que você irá tirar desta situação. Eventualmente, suas previsões poderão ajudá-lo nas tomadas de decisão futuras e isso permitirá você a tomar a agir de forma mais inteligente. 

Alinhe motivações que possam estar fora de sincronia – os membros da sua direção querem aumentar a produtividade por cada real investido.  Enquanto os colaboradores, a galera operacional em si, procurarão pela sua valorização, seja pela satisfação no trabalho, qualidade de vida ou até um aumento de salário. Para um aumento na produtividade, um alinhamento nesses interesses é muito necessário para criar um ambiente de trabalho alegre no qual farão todos os envolvidos encararem grandes desafios pelos resultados. e trabalharem pelos mesmos objetivos. 

Tá na hora de parar de mensurar a produtividade em horas e começar a entender a produtividade através daquilo que realmente importa: produção. Focando no seu potencial dentro dos 20,  implementando estratégias e direcionando ações pontuais, você conseguirá gerir o seu negócio de uma forma muito mais efetiva.

Deixe de ser Busyness Man e seja mais Business Man.

Texto adaptado: Why Entrepreneurs Should Stop Celebrating the 60-Hour Workweek

Anúncios

Um comentário sobre “Você é um Business man ou Busyness man?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s