Infográfico: 12 novos tipos de usuários de Mídias Sociais

Padrão

Você já parou para pensar quais são as características que fazem você usar diariamente as redes sociais? É obcecado? É apenas um usuário a mais? Não vive sem Facebook mas não liga para as outras? Enfim, existem sim, perfis diferentes para àqueles que são usuários de redes sociais e agora você pode até mesmo se identificar. Tudo porque saiu uma pesquisa feita pela First Direct que determinou a existência de 12 tipos de personalidades únicas nos usuários de Mídias Sociais.

Veja no infográfico abaixo:

12 tipos de características de usuários de redes sociais

Fonte: Newsroom

Curta esse post e salve o planeta

Padrão

Quem aqui nunca se deparou com alguma campanha publicitária com apelo social? Sim, todos. E você sabe do que eu estou falando. Quando uma tragédia acontece; um acidente é registrado; a seca do Nordeste se complica; as enchentes arrasando ruas e avenidas; deslizamentos de encostas e barrancos; e até crianças que dependem de cirurgias ou cadeiras de rodas especiais. Tudo isso, de uma forma ou de outra, se torna alvo de pessoas (em certo casos até de agências) para promover o tal engajamento social na web. E o mais “interessante”, engajamento no intuito de uma simples moeda de troca: chamar a atenção para a promoção e não para o problema.

Sim, e eu estou mais do que certo que isso funciona assim mesmo. Veja: o tio da esquina trabalha há 35 anos como mecânico do bairro e já é uma figura conhecida na região. A Prefeitura, por questões administrativa, resolve remover aquele estabelecimento no intuito de construir uma nova passagem ampla para carros afim de diminuir os problemas de engarrafamentos na cidade. Sem qualquer poder de barganha ou negociação, o tio da esquina fica sem saída e toda aquela história é perdida. Surge aí um contexto perfeito para bons publicitários agirem em prol de seus clientes socialmente corretos. Vamos criar uma imagem relatando o problema e a cada curtida, representará um real doado para a reconstrução da mecânica do tio da esquina. Pimba, curta e compartilha que faremos a imagem social que o seu público quer ver.

Obs: Isso foi só um exemplo e não existe (até onde eu sei) qualquer caso semelhante a esse na minha cidade.

A iniciativa é bonita, irá ajudar quem precisa e colocará em evidência o descaso público em função de interesses de terceiros. Mas também fará a promoção de uma marca, através de uma campanha de publicidade paga, em função de um problema que um pobre e miserável cidadão está sofrendo. São situações que te provocarão (no mínimo) as seguintes reflexões:

  • – pô, todo mundo sabe do problema, por que não vai lá e resolve logo? O meu “curtir” vai salvar a vida do cara? Vou ter que assistir esse vídeo para ele ter onde trabalhar? Prefiro ver a empresa ajudando e fazendo acontecer do que impor uma condição para a ideia sair do papel.
  • – ah, deixem de ser falsos moralistas, pelo menos a empresa tomou iniciativa e tá querendo ajudar. 
  • – aposto que o zé da esquina nem sabe o que tá acontecendo; 

O caso UNICEF

Essa discussão surgiu em função de uma ação que a UNICEF gerou nesta última semana. Na Suécia, a UNICEF tem uma abordagem bem mais provocativa em suas campanhas em comparação com o que tenho visto em outras iniciativas localizadas. 

O objetivo era aumentar as doações de vacinas contra poliomielite para crianças carentes, um pedido que continua no novo filme criado pela Forsman & Bodenfors. O monólogo de um garoto ironiza a quantidade de likes na página da UNICEF no Facebook – quase 200 mil – dizendo que assim fica mais tranquilo, já que certamente ele e seu irmão caçula estarão livres de doenças.

UNICEF - Like us on Facebook

UNICEF – Like us on Facebook

Apenas curtir algo no Facebook não salva a vida de ninguém, e a campanha assina dizendo que com apenas R$ 15 é possível vacinar 12 crianças, que podem ser compradas diretamente no site unicef.se/poliovaccin.

Nordeste

Um outro exemplo de uma ação que utiliza esse conceito social para engajamento online no intuito de promover, além da própria conscientização do problema, a marca e a agência, foi a que aconteceu com a Newtemp. Diante desse cenário, a Newtemp em parceria com a ONG Amor em Ação lançam a campanha: “Todos contra a seca: eu curto essa iniciativa!”

Os caras criaram uma campanha para que a cada 50 curtis, 40 litros de água serão doados para uma comunidade do interior do Ceará. A idéia é que a cada 50 curtidas na página deles, a empresa fará a doação de 2 galões de 20 litros cada para a Comunidade Longar, no distrito de Canindé- CE, uma das mais atingidas pela seca.

Seca da curtição

Seca da curtição

Seja o Tio da Esquina, a vacinação da poliomelite ou a seca do nordeste, as ações publicitárias de grandes marcas que são produzidas no intuito de promover a conscientização social e ainda gerar engajamento com os usuários (e futuros, clientes) é algo que ainda iremos nos deparar bastante. Não há um marco regulatório quanto a esse tipo de ação tampouco uma receita que diz que é a melhor forma de salvar o mundo.

Querendo ou não, alguém ta fazendo alguma coisa. Mas se você não curtiu as ações da empresa querendo ajudar o cidadão da sua cidade, faça algo você mesmo, comece o quanto antes e saiba que o seu papel vai muito além de uma simples interação nas redes sociais. O poder da comunicação que essas ferramentas proporcionam é imenso mas de nada valerá a pena se você não desligar o computador e ir ajudar quem precisa.

Fonte: Brainstorm#9 e Newtemp

“Startup Morning” abre a caça internacional por projetos brasileiros de startups

Padrão

Evento irá reunir investidores estrangeiros e criadores nacionais de startups em busca de apoio e financiamento para seus projetos

logo

No próximo dia 18 de maio, acontece em São Paulo a 2a edição do ateliê Startup Morning. O objetivo do evento é promover um intercâmbio de experiências entre o mercado digital nacional e o Europeu e vai reunir investidores internacionais, empreendedores brasileiros e especialistas na área de mídias sociais, tecnologia da informação e marketing digital. Os criadores de startups com maior potencial de mercado poderão se candidatar a uma seleção de financiamento exclusivo para startups, a ocorrer no final de março. Os projetos então escolhidos serão acompanhados e desenvolvidos sob uma perspectiva internacional de crescimento.

Os criadores de projetos de startups (ou de empresas embrionárias já em andamento) são o principal alvo do evento que, entre outros temas, vai oferecer informações sobre o financiamento de startups, gestão e acompanhamento diário, além de dicas e soluções para acelerar o desenvolvimento desses novos negócios. Os investidores estrangeiros presentes vão oferecer, gratuitamente, um auxílio para o diagnóstico personalizado dos principais gaps e pontos fortes de cada startup apresentada.

De acordo com Alexandrine Brami, CEO da Digital Factory Brazil, o ateliê Startup Morning é uma importante ferramenta de networking global e de sondagem de novos projetos. “Para além das discussões de mercado, os brasileiros com boas ideias e criadores de projetos arrojados terão a oportunidade de conhecer mais sobre esse mercado, apresentar seus projetos e estabelecer contato com investidores com experiência em diferentes mercados”, explica.

Para Alexandrine Brami, embora o Brasil venha apresentando um número crescente de novas startups no mercado, ainda é muito grande o índice de projetos que entram em falência antes de emplacarem ou se tornarem rentáveis. “A falta de financiamento e de uma equipe capacitada são os fatores que mais têm contribuido para a descontinuidade desses projetos. É para mudar essa realidade que a Digital Factory Brazil foi trazida ao País”, finaliza Brami.

A Digital Factory Brazil

O ateliê Startup Morning é promovido pela Digital Factory Brazil, aceleradora franco-brasileira que possui um metiê centrado na seleção, acompanhamento/treinamento personalizado, e financiamento de startups. O grupo reúne mais de 50 partners nacionais e internacionais em busca de projetos que, no médio prazo, possam fazer o bootstrap, se autofinanciar gerando lucros. O objetivo do grupo é utilizar a expertise já testada e assimilada na Europa para fomentar o desenvolvimento de práticas corporativas cada vez mais especializadas e adaptadas à realidade brasileira.

Serviço

Evento: 2o workshop Startup Morning

Data: 18 de maio

Local: São Paulo, Digital Factory Brazil

Contatocontato@dfact.com.br

Inscrições: 3031 3599 / 2308 7837 / contato@dfact.com.br

Fonte: Digital Factory

12 talks to watch this Earth Day

Padrão

Do TED Blog, incríveis edições para assistir sobre a discussão em torno do nosso planeta terra.

Vale a pena assistir todos!

TED Blog

EarthPlanet Earth doesn’t exactly have a birthday. But every year on April 22, we celebrate Earth Day — the anniversary of the moment the environmental movement went mass.

According to EarthDay.org, Earth Day was founded in 1970 by U.S. Senator Gaylord Nelson, who called for a “national teach-in on the environment” after witnessing the terrible effects of the 1969 oil spill in Santa Barbara, California. The first Earth Day brought major actions to the streets of many major U.S. Cities. For fun, check out this vintage newscast from after that first Earth Day.

Earth Day went global in 1990 and, today, is celebrated in an estimated 192 countries. Which makes today the perfect day to take time to appreciate the land, air, oceans and wildlife that sustain us — and to think about how our lives, both individually and as a group, affect the environment. To that end, here are 12…

Ver o post original 808 mais palavras

6 passos importantes para a manutenção de um blog corporativo de forma inteligente

Padrão

Substituir um site institucional por ferramentas sociais online, como um blog ou até mesma uma fan page corporativa, nunca foi muito recomendável. Cada um dos lados pode muito bem servir para complementar o outro e quando isso acontece da forma correta, mais tráfego aparece para o seu site assim como mais seguidores/fans para as suas redes sociais acabam surgindo.

Blog Corporativo - Planejamento é o ponto de partida.

Blog Corporativo – Planejamento é o ponto de partida

E se você procura uma postura institucional mais corporativa com as redes sociais, um blog é uma opção muito bem aceita.

Além de ser uma vitrine mais alternativa para os seus negócios, um blog corporativo poderá complementar aquilo o que você sempre tentou dizer para o seu cliente final.

Com um formato até mais informal, mas sem perder “o ar de negócios”, usar o conteúdo de qualidade como moeda de troca para os seus usuários pode transformá-los em futuros clientes.

Mas se eu já tenho um blog, o que eu poderia fazer?

Obs: se você já tem um blog corporativo, presumo que os objetivos e o resultado que você pretende tirar através desses conteúdos já estão todos bem definidos, certo? Lembre-se: entrar em um ambiente de comunicação e não saber o que está fazendo, é a mesma coisa que usar um megafone e falar para o oceano.

Pois bem, vamos lá. Interação, novos leads/prospects, SAC, e-commerce, simples divulgações ou espaços para publicidade, todos esses itens dependerão, sem exceção alguma, um bom planejamento antes do primeiro clique em “Publicar”.

Continue lendo