Quando as redes sociais não servem para nada – por @midia8

Padrão

Um puta texto que eu li do senhor Cleyton Carlos Torres – lá do Blog Mídia8. Vale a pena conferir, folks =D

Observação: se você é daqueles que acham que as redes sociais estão acima de todas as outras coisas, um conselho: volte para o Facebook e não perca tempo lendo esse texto.

Tô sentindo falta de debates mais pesados, reflexivos, polêmicos ou até mesmo daquelas conversas filosóficas de bar. Boteco é coisa sagrada. É quando amigos se reúnem e conversam de um jeito mais informal sobre assuntos variados, que passam da vitória do Barcelona até como a internet está impactando – para melhor – a vida dos brasileiros.

Mas não falo de boteco. Sinto falta de debates nas redes sociais. É fácil encontrar ótimas questões vindas de cima para baixo, quando excelentes profissionais nos colocam diante de reflexões ímpares sobre o digital, principalmente no Brasil. Porém a questão é mais pra baixo. Cadê o debate construtivo entre os usuários?
Alguns bons sites, blogs, fóruns e grupos no Facebook procuram resgatar um lado mais reflexivo e menos mimimi sobre redes sociais, internet, web semântica, marketing digital ou inclusão digital. É bacana, mas é muito pouco. A questão é ser intelectual de boteco, onde todos, mesmo com opiniões totalmente contrárias, colocam na mesa pontos importantes e discutem, mesmo que de forma fervorosa, sobre eles, mas jamais sem perder a compostura.
Nas redes sociais há uma onda de que é permitido agredir desde que a maioria concorde. A garota ofendeu os nordestinos, mas no lugar de construírem um debate sobre o tema, a maioria optou por agredi-la de maneira tão deplorável quanto. A mulher matou um cachorrinho de estimação, mas em vez de ser erguido o debate sobre como deve ser a relação com quem agride animais, a maioria optou por ameaçá-la.
Todos os usuários fizeram isso? Óbvio que não. Tem gente que teve coragem e bateu de frente com esses movimentos, criticando-os, inclusive, pelo comodismo, já que a moda é debater um assunto conforme a quantidade de likes e compartilhamentos que uma imagem recebe. Já dizia a velha cabeça iluminada: “para que o perverso triunfe, basta que as pessoas de bem não façam nada”.
Redes sociais devem conter entretenimento, diversão, humor e, acima de tudo, diálogo. Ofender alguém que ofendeu alguém é como justificar violência com violência. É deplorável. É patético quando vemos determinados grupos da sociedade – mais preocupados com a temperatura do Danoninho do que com assuntos realmente importantes – procrastinando nas redes sociais. Não falo de revolução armada nem passeata. Falo de conversa, bate-papo, diálogo, cutucadas construtivas, contato humano.
Na boa? O Orkut é tratado pela turma do Danoninho como um ambiente de segunda classe, inferior. Porém lá era possível criar ambientes de discussão sem sermos atropelados pelos revolucionários de iPad, loucos para criticar a classe C.
Hoje conheci um senhor de 82 anos que vendia peças talhadas em madeira reciclada. Ele não sabe o que é iPad, Twitter, smartphone e muito menos ouviu falar em Mark Zuckerberg. Ele está errado? Não, nós é que estamos nos tornando chatos. Só sabemos conversar sobre um assunto, em linha reta, como uma locomotiva, com dados e cifras colossais sobre as últimas tendências do mercado digital.
Desliguem o tablet, folks. Deliguem seus respectivos smartphones e notebooks. Parem de falar em redes sociais e façam redes sociais. Façam um favor para a geração Y: deliguem a internet. Saiam de casa. Conversem com amigos, conheçam quem trabalha de maneira off-line, no mundo off-line e para pessoas do off-line. Mídia social não é profissão, é ferramenta. Não deixem que elas sufoquem seus pensamentos e anseios, chegando ao ponto de não terem o prazer de conhecer um senhor de 82 anos que vende peças talhadas em madeira reciclada.
Nada substitui o olho no olho. Qual foi a última vez que você sentou com sua família para uma conversa descontraída? Qual foi a última vez que encheu a cara e ligou para a ex-namorada? Quando foi que você sentou com um professor, um amigo ou mesmo com o seu avô para debater velhas questões que insistem em permanecer nesse mundo altamente conectado? Não faça parte da turma do Danoninho. A originalidade constrói personalidade. E de avatares e sentimentos artificias nossas vidas já estão cheias. Nesse começo de ano peçam de presente um pouco de consciência e rebeldia. O resto é consequência.
Anúncios

2 comentários sobre “Quando as redes sociais não servem para nada – por @midia8

  1. Apesar de trabalhar com essas ferramentas citadas no texto, sinto que realmente a maioria dos usuários não está interessada em nada que possa ocupar seu tempo, a própria mídia é responsável por isso, todas as promoções tem o mesmo sistema, você curte uma fan page, tweeta um link e fica esperando o prêmio, isso não é interação e acaba viciando a rede. Falta estratégias verdadeiras para aproximar as marcas de seus clientes, mas acima de tudo, falta interesse da geração Y pelas raízes que brotaram pra formar o presente.

  2. likescool

    O problema é que muitas empresas é que não estão sabendo lidar com essas novas modalidades. Muitas, querendo ou não, estabelecem o objetivo de faturar e gerar lucro já nos primeiros meses de uma campanha e acabam atirando pra todos os lados. Não estudo, planejamento, conhecimento sobre os ambientes, nem linguagem nem nada. Se os trabalhos das empresas em campanhas de mídias sociais fossem focados no engajamento e na ‘socialização’ da marca, o lucro iria aparecer mais ‘verdadeiro’ e natural, e não apenas com promoções de RT ou Like como se costuma ver por ai.

    Eu acredito muito no seguinte: tenha tempo para criar a reputação o suficiente para que ela seja transformada em lucro. O conteúdo é essencial.

    Abraço, Felipe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s