Faturamento mundial de mídias sociais deve atingir US$ 10,3 bilhões em 2011

Padrão

Gastos com propaganda consomem a maior fatia do bolo, representando US$ 5,5 bilhões

De acordo com o Gartner, empresa de pesquisas de mercado especializada no setor de tecnologia, o faturamento mundial de mídias sociais deverá chegar a US$ 10,3 bilhões em 2011. O número representa um aumento de 41,4% em relação ao registrado em 2010, que foi de US$ 7,3 bilhões. De acordo com os analistas, em 2012, a perspectiva é que o faturamento continue crescendo, atingindo US$ 14,9 bilhões.

“As mídias sociais são um caminho sem volta”, afirma Antonio Borba, diretor executivo da Rede Magic e consultor na área de tecnologia. “Há muito tempo vem se falando na necessidade de rever a estrutura do marketing e da publicidade, cujos formatos já estavam dando sinais de desgaste. Agora, as empresas têm atentado para a necessidade de investir em mídias que possibilitem maior engajamento e aproximação com os clientes”, complementa. Os dados confirmam a análise de Borba. O faturamento com propaganda é a maior fonte de renda para a área de mídias sociais. Em 2011, a publicidade deve responder por US$ 5,5 bilhões do total previsto.

Pautas Incorp

Anúncios

Alguns cuidados essenciais para controlar seu movimento nas redes sociais.

Padrão

por: *Dr. Rony Vainzof.   Edição: Renata Athanassakis.

I – Assim como na vida real, seja ético, honesto, integro, justo, sincero, bondoso e humano;

II – Leia atentadamente os termos de uso (contratos) das redes sociais antes de assiná-los digitalmente;

III – Utilize as opções mais restritivas de privacidade que as redes sociais disponibilizam;

IV – Não converse com estranhos nas ruas virtuais, não adicione amigos ou mantenha relacionamentos nas redes sociais sem ter certeza de que quem está do outro lado do computador são seus amigos na vida real;

V – Cuide de sua senha como você cuida da chave de sua casa. Ela é a sua autenticação na Internet;

VI – Não revele dados pessoais em redes sociais. Criminosos pesquisam o perfil das suas vítimas na Internet;

VII – Não tire fotos comprometedoras de você mesmo ou de terceiros, muito menos as exponha na Internet;

VIII – Não utilize identidade de terceiros, não seja racista, não ofenda, não ameace e não humilhe terceiros. Tudo isso é crime;

IX – Jamais incentive ou auxilie o suicídio;

X – Pense muito antes de se manifestar em qualquer rede social, pois o seu pensamento se eternizará na Internet, que muitas vezes não permite o direito ao arrependimento.

Dr. Rony Vainzof, é sócio do Opice Blum Advogados, Professor da FGV, do Mackenzie e Coordenador Assistente do MBA em Direito Eletrônico da Escola Paulista de Direito.

MÍDIAS SOCIAIS E QUESTÕES JURÍDICAS – você sabia?

Padrão

Vivenciamos uma época em que é impossível e ilógico tentarmos deixar de utilizar os recursos tecnológicos e os serviços disponíveis na grande rede mundial de computadores, seja para fins pessoais ou profissionais, sendo a evolução exponencial das mídias sociais mais um grande marco dessa era, surpreendendo e espantando a compreensão do ser humano.

Falamos o que pensamos, encontramos colegas que não víamos há décadas, marcarmos encontros, festas, reuniões, eventos, passeamos por diversas ruas espalhadas pelo mundo, conhecemos toda e qualquer obra de arte, estudamos, trocamos informações, notícias, artigos, fotos, vídeos, músicas, sentimentos, conhecemos pessoas, nos relacionamos e nos apaixonamos muitas vezes sem sequer conhecer pessoalmente a(o) amada(o), tudo através de um celular, um tablet ou um computador conectado em uma rede social.

Por outro lado, infelizmente, inúmeras pessoas se expõem demasiadamente, utilizam perfis falsos, mentem, ofendem, maltratam, ameaçam, traem, são racistas, vendem drogas, violam direitos autorais, violam segredos industriais, praticam concorrência desleal, acabam literalmente com a vida pessoal e profissional de terceiros.

Nos últimos anos já vimos jovens se suicidando em razão de gravíssimos casos de cyberbullying, seqüestradores “Caçando” suas vítimas na Internet, trabalhadores expondo segredos industriais aos concorrentes por irresponsabilidade ou intencionalmente e outros, muitas vezes, misturando sentimentos pessoais com os profissionais, entre outros graves problemas.

Portanto, se por um lado não podemos viver mais sem as mídias sociais, nunca foi tão importante nos conscientizar sobre o seu uso responsável, bem como sobre as conseqüências de seus atos, ainda mais na Internet, com uma propagação mundial e imediata, lembrando que a regra geral da legislação penal brasileira dispõe que o desconhecimento da lei é inescusável (Art. 21 do Código Penal), ou seja, ninguém pode alegar o desconhecimento da Lei para se defender. Vejamos apenas alguns exemplos do nosso ordenamento jurídico:

– Discriminação ou preconceito na Internet: crime previsto no Art. 20, §2º, da Lei 7.716/89;

– Calúnia, Injuria e Difamação por meio que facilite o ilícito: crimes previstos nos Arts. 138, 139 , 140, respectivamente, combinado com o Art. 141, inc. III, todos do Código Penal;

– Ameaça: crime previsto no Art. 147 do Código Penal;

– Induzimento, instigação ou auxílio a suicídio: crime previsto no Art. 122 do Código Penal;

– Falsa Identidade: crime previsto no Art. 307 do Código Penal;

– Violação de Segredo Profissional: crime previsto no Art. 154 do Código Penal;

– Concorrência Desleal: crime previsto no Art. 195 da Lei de Propriedade Industrial (Lei n.º 9.279/96);

– Responsabilidade civil dos provedores de serviço de Internet que não adotam qualquer medida para remover o conteúdo indevido inserido por terceiros caso sejam previamente cientificados: Art. 186 do Código Civil;

– Responsabilidade civil dos pais pelos seus filhos menores de idade por atos ilícitos: Art. 932, Inc. I, do Código Civil;

– Responsabilidade do empregador sobre seus empregados no exercício do trabalho que lhes competir, ou em razão dele, por atos ilícitos: Art. 932, Inc. III, do Código Civil;

– Justa causa para rescisão do contrato de trabalho por incontinência de conduta ou mau procedimento, violação de segredo da empresa, ato lesivo da honra ou boa fama contra qualquer pessoa e/ou superiores hierárquicos: Art. 482 da CLT, alíneas “b”, “g”, “j” e “h”.

Diante do exposto, todos nós gostaríamos de ter as mídias sociais livres das condutas nefastas dos malfeitores e dos usuários irresponsáveis, porém, para isso, talvez um ótimo início seja termos cautela na exposição das nossas vidas na Internet, lermos atentamente os contratos eletrônicos e utilizarmos todas as ferramentas de privacidade existentes em cada serviço, sempre lembrarmos que com um simples “click”, em qualquer dispositivo, nosso pensamento se eterniza para o mundo, bem como e, principalmente, que a Internet não é mundo sem Leis.

por * Dr. Rony Vainzof

Se você tuitar, você é suficientemente bom ou ruim para ser retuitado? [tcc]

Padrão

A mídia social tornou-se um fenômeno que vai além de palavras. Centenas de milhões de pessoas no mundo todo se juntaram ao grupo. Em um milésimo de segundo, milhões de pessoas conseguem saber tudo sobre tudo e todos. Com esse movimento todo, não demoraria muito para as empresas se envolverem. Pequenas empresas, grandes empresas.

Agora é hora de aproveitar esta oportunidade de baixo custo (muitas vezes, sem custo), global e local. Quando empresas como Procter & Gamble, Dell, Apple, IBM, Microsoft, Zappos e Amazon.com mergulharam de cabeça no processo, pode ter certeza de que há muita oportunidade e muito espaço para se fazer o mesmo.

O principal requerimento para estabelecer conectividade e bons resultados nas mídias sociais é o tempo. Uma construção bem consolidada em uma rede de relacionamento despende, no mínimo, uma hora do dia para a relação social. Quando o fizer, e fizer de maneira correta, as recompensas serão imensuráveis. Será possível se conectar com associados comerciais e atrair pessoas e clientes prospectivos para que se conectem com você mil vezes mais rapidamente e dez mil vezes melhor do que fazer a centenária chamada fria. A mídia social para negócios é a nova oportunidade.

Essas mídias são feitas para vendas, criação de clientes leais e, com isso, um resultado lucrativo com a possibilidade de se expor, expor seus pensamentos, suas experiências, suas interações e seu valor para o mercado ao seu redor e o mercado ao redor do mundo.

A mídia social para negócios ainda é nova. Ainda tem bastante tempo. É preciso comprometimento para se envolver, mantendo os objetivos condicionados e valorizados, procurando sempre manter este compromisso até ganhar e colher as recompensas tanto em reputação quanto em lucro. Não se podem ignorar as mídias sociais. Centenas de milhões de pessoas estão envolvidas até agora, e ela tem apenas poucos anos de idade. E o principal motivo de uma boa estratégia da marca nas mídias sociais: elas são imediatas e informativas.

Facebook, Linkedin, Twitter, Youtube, blogs. Todas essas mídias são, ou tentam ser, socialmente envolventes – complexas, por assim dizer. Todas elas são, ou tentam ser, repassadas para os outros -, virais, por assim dizer. Em outras palavras, se você tuitar, você é suficientemente bom ou ruim para ser retuitado?